CÂMARA APROVA E PREFEITURA PAGARÁ PRÓ-LABORE A POLICIAIS MILITARES

Escrito por Helinho Rodrigues em . Publicado em Notícias


O prefeito de Pedregulho, Dirceu Polo Filho – Dirceuzinho – enviou à Câmara de Vereadores e teve aprovado em sessão extraordinária, realizada na última quinta-feira (23), o Projeto de Lei que autoriza pagamento de “pró-labore” para os integrantes do Grupamento de Polícia Militar da cidade.

O pagamento – que a partir de agora será de R$ 600 para cada policial - ficou suspenso por vários meses porque a administração de 2013-2016 deixou de cumprir uma lei aprovada pela própria Câmara, mas a Prefeitura entende que a produtividade dos policiais militares da cidade precisa ser recompensada e reforçada.

“Segurança Pública é uma responsabilidade recorrente do Poder Público Municipal e apesar das dificuldades, vamos cumprir com esta obrigação, garantindo produtividade e eficiência dos serviços de segurança”, disse o prefeito Dirceuzinho.

O PL de autoria do Prefeito, aprovado por unanimidade pela Câmara de Vereadores recebeu elogios de diversos parlamentares, que aproveitaram para solicitar o prefeito, esforços no sentido de também adequar as diversas perdas salariais que os servidores municipais perderam na administração passada.

O comandante do Grupamento em Pedregulho, sargento Odimar e diversos PMs acompanharam do auditório, a deliberação em Plenário dos 11 vereadores que participaram da sessão. 

Votaram favoravelmente ao Projeto os vereadores: o vice-presidente Leonardo Bueno – Leonardo Advogado, o 1º secretário Eurípedes Aparecido Porto – Cidinho Porto, o 2º secretário Rafael Henrique Oliveira Uehara – Rafa do Cipanga, Welder Douglas, Renato Ribeiro Saade, Fabrício Ferreira Barbosa - Fabrício do Pesponto, Carlos Henrique Moreno Batista - Ká do Esporte, Raimundo Cleomar Lobão, Eurípedes Vaz Rodrigues – Oripim Panfleteiro e Wanderley Moreira de Carvalho – Careca.

O presidente da Câmara, vereador Augustinho Alves da Silva - Gustinho Abílio (foto), só votaria em caso de empate, mas em declaração afirmou também ser favorável à medida.