CÂMARA PODE VOTAR REPASSE PARA SANTA CASA NA SEGUNDA-FEIRA

Escrito por Helinho Rodrigues em . Publicado em Notícias

O Prefeito de Pedregulho, Dirceu Polo Filho – Dirceuzinho – anunciou na manhã desta sexta-feira (10) que após reunião com o promotor Alex Facciolo Pires, do Ministério Público de Pedregulho, será resolvido o atraso de pagamentos dos 96 funcionários da Santa Casa da cidade.

“Fizemos um compromisso de enviar um Projeto de Lei para a Câmara ainda hoje (sexta-feira, 10), solicitando autorização para enviar o subsídio de até R$ 250 mil para o hospital quitar suas dívidas”, disse o Prefeito.

O presidente da Câmara, vereador Augustinho Alves da Silva - Gustinho Abílio (PTB) disse que a sessão poderá ocorrer assim que o Projeto for protocolado e obedecidos os prazos regimentais e que a realização pode ocorrer na segunda-feira, a partir das 19h30 caso os vereadores antecipem os prazos regimentais. 

Na quinta-feira, 9 dos onze vereadores participaram da Assembleia do Sinsaúde com os funcionários do Hospital, que decretaram o Estado de Greve na Santa Casa (veja abaixo). 

“Se a Câmara aprovar na segunda-feira, sancionaremos a lei na terça-feira e na quarta o dinheiro será depositado na conta da Santa Casa”, disse o prefeito.

A Santa Casa deve a vários fornecedores, mas a prioridade do momento é o pagamento dos salários dos salários dos 93 funcionários referentes aos meses de dezembro e janeiro.

Além de não ter pago dezembro, a gestão anterior da Prefeitura não deixou dinheiro em caixa para que fosse qualquer compromisso que a Prefeitura tem com entidades, inclusive a Santa Casa.

Caso o pagamento não seja feito, o hospital poderá sofrer greve, pois a categoria, após Assembleia realizada na quinta-feira à tarde, com o Sinsaúde – Sindicato dos Trabalhadores da Saúde decretou “estado de greve” no hospital. Pela lei, depois de decretada esta situação, a greve pode ocorrer após 72 horas. 


Reunião de quinta-feira

Uma assembleia realizada pelo Sinsaúde de Franca e região, com funcionários da Santa Casa de Pedregulho, na tarde desta quinta-feira, no Plenário da Câmara de Vereadores da cidade, decidiu pela decretação de Estado de Greve dos funcionários da instituição.

O hospital deve dois meses de salário para 36 funcionários (dezembro e janeiro), além de não ter acrescentado o reajuste salarial do acordo salarial da categoria de março de 2016 a fevereiro de 2017, no índice de 11,08%.

O estado de greve – que significa que a paralisação pode ocorrer a qualquer momento – será oficializado nesta sexta-feira pelo Sinsaúde junto à SC de Pedregulho, ao Ministério Público Estadual da Comarca (promotor Alex Facciolo Pires), ao prefeito Dirceu Polo Filho e ao presidente da Câmara, vereador Gustinho Abílio.

 A Assembleia convocada pelo Sinsaúde reuniu funcionários da Santa Casa e nove dos 11 vereadores da cidade. O presidente da Câmara, vereador Gustinho do Abílio liberou o Plenário para a realização da reunião e passou o comando à diretoria do Sinsaúde.

O vice-presidente do Sinsaúde – Sindicato dos Trabalhadores da Saúde de Franca e região – Luiz Carlos Vergara – fez uma explanação da situação, afirmando ter conhecimento de que além das pendências trabalhistas, o hospital tem uma dívida que totaliza mais de R$ 4 milhões.

Vereadores, tanto de situação quanto de oposição se manifestaram durante a Assembleia, mostrando a disposição da Câmara na busca de uma solução.

O grande problema é que a administração anterior (2013-2016) não concedeu o reajuste de 11,08% da categoria no ano passado e nem pagou os salários de dezembro. Para piorar, não fez o repasse mensal de R$ 220 mil em dezembro e não deixou nenhum dinheiro em caixa para o pagamento dos salários dos funcionários em janeiro/2017.

A Câmara se dispôs a receber eventual projeto de lei do Prefeito Dirceuzinho, repassando os subsídios para a Santa Casa, mas a prefeitura alega não ter o total de recursos para pagar todas as pendências deixadas pelo governo anterior.

Relatos de funcionários da Santa Casa mostram uma situação de penúria e extrema revolta, segundo o vice-presidente do Sinsaúde, Vergara.

“Os funcionários estão com aluguéis atrasados, não têm dinheiro para comprar materiais escolares para os filhos e muitos já reclamam da falta de produtos básicos, inclusive alimentos em seu dia-a-dia”, disse Vergara.

Pela Câmara de Vereadores participaram da Assembleia do Sinsaúde, o presidente Augustinho Alves da Silva - Gustinho Abílio, o vice-presidente Leonardo Bueno – Leonardo Advogado, o 1º secretário Eurípedes Aparecido Porto – Cidinho Porto, o 2º secretário Rafael Henrique Oliveira Uehara – Rafa do Cipanga, Welder Douglas, Renato Saade, Fabrício Ferreira Barbosa - Fabrício do Pesponto, Carlos Henrique Moreno Batista - Ká do Esporte e Wanderley Moreira de Carvalho – Careca.