PEDREGULHO REPRESENTADA NA COMEMORAÇÃO DE 45 ANOS DA DIOCESE

Escrito por Helinho Rodrigues em . Publicado em Notícias

O município de Pedregulho esteve representado pelas suas principais autoridades no evento de comemoração dos 45 anos da Diocese de Franca, ocorrida no domingo no Ginásio de Esportes “Pedrocão”.

Estiveram presentes, representando oficialmente a cidade, o prefeito José Raimundo de Almeida Júnior – Zezinho do Galego, e sua esposa, Maísa e o Presidente da Câmara de Vereadores, vereador Carlos Fernando Peracini e sua esposa Nilva.
Foi uma manhã muito especial que marcou a celebração dos 45 anos da Diocese, com uma missa às 9h30, no Ginásio Poliesportivo de Franca.
Com o ginásio completamente tomado por milhares de fiéis, a celebração transcorreu com muita emoção e alegria.
Presidida pelo bispo Dom Paulo Roberto Beloto, a missa contou ainda com a presença de todos os padres da Diocese de Franca e dos antigos bispos, Dom Diógenes Silva Matthes (hoje emérito), Dom frei Caetano Ferrari, bispo de Bauru e Dom Pedro Luiz Stringhini, bispo de Mogi das Cruzes.
A missa reuniu também os representantes de todos os movimentos e pastorais da diocese, além de religiosos, diáconos e seminaristas.
Entre os pontos de destaque, a acolhida da imagem da padroeira da diocese, Nossa Senhora da Conceição e um momento de recordação dos principais fatos que marcaram a história da Diocese de Franca, atualmente composta por 43 paróquias em 19 cidades.
Além da missa deste domingo, 12, as comemorações dos 45 anos da Diocese de Franca contaram ontem com uma missa às 19h, na Catedral Nossa Senhora da Conceição em Franca, em homenagem aos 45 anos de ordenação episcopal de Dom Diógenes Silva Matthes.
Hoje emérito, Dom Diógenes foi o primeiro bispo da diocese, sendo ordenado no dia 11 de junho de 1971 na Catedral Metropolitana de Ribeirão Preto, tendo no dia seguinte tomado posse da Igreja Particular de Franca.
Atualmente com 84 anos, Dom Diógenes respondeu como primeiro bispo diocesano por 35 anos até ser sucedido por Dom frei Caetano Ferrari, que na ocasião já respondia como bispo coadjutor.